Blog da Incluo



Saiba como escolher escola para crianças com síndrome de down

O período escolar, em qualquer grau, é certamente um dos mais importantes na vida das pessoas, pois nele aprendemos melhor sobre a vida coletiva, desenvolvemos os mais diversos aspectos socioculturais e somos preparados para a vida. E isso não é diferente para as pessoas com Down.

No entanto, como sabemos, crianças com Síndrome de Down podem apresentar uma forma de aprendizagem mais lenta do que a de outras crianças, fazendo com que necessitem de mais atenção e estímulos específicos na hora da aprendizagem.

A Lei Brasileira de Inclusão (LBI), aprovada pelo congresso Nacional em 2015, garante o direito às crianças com síndrome de down tenham direito de frequentar instituições de ensino regular sem restrições e na mesma classe das demais; e ainda que a COFENEM tenha tentado ação contra a obrigatoriedade de estabelecimentos de ensino aceitarem clientes diferenciados, o mesmo foi negado pelo STF. Ainda assim, muitas escolas mantem dificuldades ao trabalhar com tais alunos.

O aprendizado para crianças com síndrome down.

Antes imaginava-se que a SD era ligada diretamente a severo retardo mental, mas hoje sabe-se hoje que isso não é verdade.

Apesar de um aprendizado um pouco mais lento, a dificuldade de retenção de memória curta e falta de atenção serem características bem comuns nesses casos, descobriu-se que quanto mais cedo os estímulos certos forem dados, menores as dificuldades futuras.

Outra coisa que deve-se lembrar sempre é que, como qualquer outra criança, aliás, qualquer outro ser humano, elas apresentam características pessoais, personalidade e habilidades completamente diferentes, e essa individualidade deve ser sempre lembrada.

Escola tradicional x Escola especial

Tradicional

O ensino tradicional tem muito a oferecer a crianças com down em vários aspectos, entre eles estão o contato com a diversidade e desenvolvimento socioafetivo.

Por outro lado, o ensino tradicional atualmente tem pouca estrutura para lidar com crianças que tenham demandas diferenciadas, em particular no que diz respeito a oferecer a atenção individual necessária, já que as salas de aula estão sempre lotadas (em especial das escolas públicas), não há material adequado para casos diversos como o das crianças com down, e nem muito tempo extra disponível.

Escola especial

Já escolas especais, vem diminuindo com a publicação da LBI . Geralmente focam nos aspectos técnicos da educação, preparando materiais e técnicas específicas para crianças com down, dependendo da escola, há atividades físicas preparadas e acompanhamento para cada faixa etária e turmas reduzidas.

Contudo, elas acabam não abrindo muito espaço para o contato diversificado que se consegue em uma escola tradicional, com os métodos focados diretamente em habilidades técnicas das crianças, podendo deixar de lado o desenvolvimento emocional.

Inclusão no ensino tradicional

O MEC oferece um documento público sobre a política de inclusão que aborda diversos temas, inclusive para necessidades especiais de educação, bem informativo e pautado também em explanar legalmente a inclusão.

Estudiosos apontam que a melhor escolha é um tratamento diferenciado dentro da escola tradicional, como pode ser visto em diversos artigos de professores e alunos da PUCPR, que tratam desse assunto, e artigos da revista brasileira de educação especial.

Como dito no começo do post, a LBI garante o direito de alunos diferenciados ao ensino regular, no entanto muitas escolas ainda têm dificuldades a lidar com essa questão, por alguma resistência ou dificuldade técnica. No entanto as escolas convencionais vêm se preparando e se adequando cada vez mais no trabalho com as SD. Veja algumas dicas que separamos para que escolha a escola adequada.

Algumas dicas para escolher para escolher uma escola:

  • Consulte a coordenadoria da escola e fique a par das práticas inclusivas da mesma;
  • Estude o material pedagógico e plano de ensino da instituição;
  • Como a questão das diferenças é tratada entre as turmas de alunos;
  • Converse com pais de outros alunos da escola para comprovar a experiência da mesma.

Finalmente, deve-se levar vários fatores em consideração no momento de escolher a escola certa, e não há regras: como todas as crianças, as com síndrome de down têm características e habilidades únicas que devem ser aproveitadas e trabalhadas. Deve-se prestar atenção ao perfil das possíveis escolas, verificar se possuem experiência, trocar experiência com outros pais para então tomar sua decisão.

 

Vale lembrar que a inclusão é responsabilidade de todos e não apenas da escola, sendo assim a união de esforços contribuirá para o aprendizado de todos.

Gostou do texto? Que tal continuar por dentro do assunto? Então curta nossa página do Facebook.

 

ccca incl

Compartilhar:

Comentários (2)

  • Laura Reply

    Completíssimo o artigo e conteúdo de extrema qualidade!

    30/03/2017 at 17:42
  • Ana Reply

    Gostaria de ensinar pintura em tela
    Para crianças com síndrome de Dawn
    Tenho algum tempo livre

    analetra@yahoo.com.br

    22/03/2018 at 02:31

Deixe uma resposta para Laura Cancelar resposta

Your email address will not be published.